EMBARQUE IMEDIATO Punta del Este

Punta e Além José Ignacio – Roteiro 48horas

Punta Del Este, o pedaço de terra mais internacional mais “cerca “ de nós, não é mais a mesma…. A  gente fica um ano sem ir e muita coisa se transforma. Ou será que muda o que faz nosso olhar brilhar?

Desde a primeira vez, Jose Ignacio me surpreendeu, e vem me encantando a cada ida, na mesma proporção que a Barra junto com a península,  deixaram de me atrair como antes.

A boa noticia aqui é que a gente entrega o roteiro e atualiza a lista. 

QUANDO

Sempre é Bom!

Tá certo, nós também mudamos nesse meio tempo, assim como a época que eu indicaria. Dois anos atrás estive no disputado reveillon, e embora tenha sido super bacana, algumas questões me incomodaram. 

Hoje, casada, indicaria justamente um fim de semana não tão fervido em meados ou fim de Janeiro, como fizemos.

Você deve estar preparado para pegar dias frios, ou muito calor, quem sabe? – mas isso é Punta,  e  muito do charme de seu estilo, como aqueles românticos fogos na areia, tem a ver com temperaturas nada tropicais.

E Punta tem programa para qualquer clima, basta disposição e mala eclética. 

Onde Ficar

Playa Vik ou Bahia ViK?

Atualmente, não me hospedaria em nenhum outro lugar, que não fosse Jose Ignacio, onde fica 95% dos lugares que quero estar. E dois dos hotéis que sugiro são da mesma rede (ou melhor, dono).

-Playa Vik, costumeiramente mais caro e austero, com uma localização bacana que permite várias voltas no entorno a pé. 

-Bahia Vik, onde me hospedei, e se me perguntar, prefiro ele ao Playa, pelo pedaço de praia onde ele está situado, pelas piscinas (4 ao todo) e pelo restaurante/bar de praia, o La Susana.

O Bahia Vik, assim como todos os Viks tem pegada artsy, ou seja, talvez você não curta a decor, ou o quadro que examina toda a manhã ao acordar, mas com certeza de alguma forma ele vai te tocar.. O  atendimento embora agradável é um tanto relapso, mas todo o resto agrada. O gramado com vista para o mar e as piscinas  seduzem, a praia, com estrutura te convida a ficar. Não, não espere o verde das nossas águas, mas acredite, o estilo rústico chic onde uma simplicidade elegante impera, além de uma frequência humana bonita de se ver e com quem temos muito a aprender, compensa e recompensa.

48H  O que fazer em 2 dias

Dia 1

10h Punta tem um ritmo tardio, tome café despreocupadamente, desça para praia, caminhe por ela, leia um livro (de manhã, quase toda vazia), suba para um banho de piscina. 

15h Almoce no bar/restaurante de praia do hotel, o La Susana, com os pés na areia e uma bela caipirinha de frutas vermelhas, maracujá, pimenta e limão. Peça pelos camarões grelhados com abacate, jalapeno e iogurte como prato principal, e abstraia do atendimento, assim como no hotel, meio descuidado . 

 17h Desça para a praia mais uma vez, agora andando para a esquerda (sentido anti-hotel). A poucos passos está o La Choza, bar de praia com um arzinho de Tulum, super simples, animado e com um astral ótimo! A  ideia aqui é apreciar o por do sol, com drinks e música de qualidade. 

Atente para a praia, além do por do sol, observe as famílias, a forma de pegar praia, entre jovens e velhos, todos curtindo o momento, geralmente sentados  na areia , brincando com as crianças, compartilhando um chimarrão, batendo um papo. 

21-22h Troque de roupa se quiser, e vá sem stop para o Marismo, um clássico que, embora a comida não seja o forte, o ambiente pitoresco é. Adoro a área do bar com os sofás e as mesas baixas. 

Dia 2

10h Repita o café despreocupadamente, desça para a praia. Choveu? Aproveite para fazer um SPA, os hóspedes do Bahia, assim como do Estância Vik, podem desfrutar do SPA do Playa.  

14h Almoce na instituição La Huella, um patrimônio de Jose Ignacio, restaurante mais bombado de toda a região,  um incontornável fenômeno. Aprecie um bom vinho, se aqueça com a mantinha disponibilizada aos clientes, experimente os camarões sobre torrada de avocado e não saia sem provar o flan de doce de leite. 

17h Caminhe pelas lojinhas de Jose Ignacio, começando pela obrigatória  Sentido, ao lado do La Huella, e seguindo por todas nos arredores da praça. 

20h Se arrume, coloque uma roupa mais quente que as noites tendem a esfriar, antes do jantar caminhe pelas lojinhas de Manantialles, e uma ou outra que ainda resta na La Barra, como a Paul.  

22h Jante no Elmo Gastro Bar e Restaurante, peça um dos seus belos drinks e, se poder, todas as pizzas, ou pelo menos 2. 

Esse é meu roteiro dos imperdíveis e quero repeti-lo a exaustão! Mas se for a primeira vez, vale conhecer o Fasano Hotel (não para comer, além  de caríssimo, dizem, a comida não tem acompanhado), a Bodega Garzon (principalmente para um almoço elegante), ou no próprio El Garzon, e o eterno waffle do L’ Auberge (cafe da tarde perdição).

Você Pode Gostar

Não há comentários

Deixe uma mensagem

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.