A Verdade Despida e Crua VOCÊ TEM SEDE DE QUE?

Da Série Pensamentos que Afligem ABALO SÍSMICO NO AMOR

large

Entre tantos acontecimentos que intensificaram gostos e desgostos de Agosto, a separação do casal 20 de jornalistas globais repercutiu  em onda  viral de comoção. E piadas, claro, porque brasileiro é gaiato e inventou o ditado que para rir – por enquanto, não se paga  imposto.

As pessoas já tendem a se sentir íntimas de apresentadores. Se eles apresentam o nascimento dos surpreendentes trigêmeos em rede nacional, ninguém segura a afeição dos tios de sofá, que sobe  em picos estratosféricos de audiência,  quase se sentindo família.

Então, quando o casal boa-noite se separa, nossas já rarefeitas certezas amorosas, são sufocadas. A gente se dá conta de como precisa acreditar em contos de fada e em algo  forte ( ou seria mágico?)  o suficiente, para não acabar.

E começa a escapar do senso-comum simplista, e despir nossos achismos da miopia com mais sagacidade. Vejam que não usei a palavra ceticismo. Não se trata disso. A verdade é que quando a questão é o intangível e impoderável terreno da vida a dois, meu amigo, é cada um com seu cada qual. As relações mais improváveis podem ser as mais duradouras.

Talvez ainda vamos descobrir  um coeficiente de resistência ,que formule a equação para medir temperamentos mais sujeitos a uma união estável, mesmo sabendo que na natureza da vida flui a imprevisibilidade

Mas, enquanto isso não acontece, a gente tenta ler os sinais da cara metade  com intuição e perspicácia. O outro lado da laranja pode até estragar com o tempo, mas que leve tempo. Muito tempo.  Não dá  para congelar amadurecimento, nem ter visão raio x que detecte coração podre. Mas dá pra colar na experiência daquelas  mulheres que parecem ter nascido ou aprendido nos anos esse poder.

Como regral geral, num território minado de exceções, o que conta é querer estar e fazer história juntos. E não faz diferença em  quantos capítulos ela se concluirá ou o número de páginas, o fundamental é que seja uma boa história. A sua história. E somente a você e ao seu par, cabe julgar, se o final  justificará os meios, ou se os meios justificarão o fim.

Alessandra Schauffert

Você Pode Gostar

2 Commentários

  • Responder
    Clotilde
    02/09/2016 em 8:29

    Bom dia
    Ótimo saber que existem pessoas de carácter e educação como vc, adoro ler os seus textos.
    Concordo com a escrita, somente nós é quem sabemos o que passamos e sentimos realmente, e cabe a nós pelo menos respeitar os sentimentos das pessoas.

    • Responder
      Ale Schauffert
      02/09/2016 em 20:14

      Obrigada pela palavras de incentivo!
      É como cantou o poeta… ” cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é…”
      a gente pode até divagar, mas julgar é quase prepotência, um equívoca da falta de sensibilidade extrema.
      Dias lindos pra ti, Ale.

    Deixe uma mensagem

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.